Comportamento e Potencial Empreendedor à luz da Escala de Carland Entrepreneurship Index (CEI), na Ótica de Estudantes Universitários

Marta Elisa Morais da Silva Bendor, Fernando Cesar Lenzi, Antônia Marcia Rodrigues Sousa

Resumo


Objetivo: analisar a contribuição do ensino de empreendedorismo para o desenvolvimento do potencial empreendedor dos estudantes de Administração de uma Instituição de Ensino Superior. 

Método: o estudo foi dividido em duas etapas: (1) uma pesquisa descritiva e documental, com abordagem qualitativa; e (2) um estudo quantitativo, por meio de uma survey. O instrumento de coleta de dados utilizado foi proposto por Carland, Carland e Hoy (1992), denominado de Carland Entrepreneurship Index (CEI).

Originalidade/Relevância: a pesquisa aprofunda a discussão acerca do potencial empreendedor e do ensino de empreendedorismo, no âmbito da Educação Superior, evidenciando fatores empíricos decisivos para a formação de novos gestores empreendedores.

Resultados: os mecanismos metodológicos mostraram a existência de conhecimentos congruentes entre o modelo testado e os conteúdos disseminados em sala de aula, evidenciando, com isso, a contribuição para a formação empreendedora dos estudantes, nos quesitos decrescentes de identificação de potencial empreendedor, tanto para micro quanto para macroempreendedores.

Contribuições teóricas/metodológicas: o estudo contribui com a literatura, ao sinalizar, por meio das proposições empíricas, que a integralização de conteúdos, no processo da formação do estudante, exerce uma função balizadora na construção de comportamentos voltados à educação empreendedora.

Contribuições sociais/para a gestão:  os achados em campo foram salutares ao direcionamento da gestão pedagógica e da equipe docente, no que diz respeito à interdisciplinaridade de conteúdos de formação empreendedora, nos núcleos de formação básica, complementar e no conteúdo dos estudos quantitativos e de suas tecnologias, conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Graduação em Administração.

Palavras-chave


Empreendedorismo; Ensino de empreendedorismo; Potencial empreendedor

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Andreassi, T., & Fernandes, R. J. R. (2010). O uso das competições de planos de negócios como ferramenta de ensino de empreendedorismo. In Lopes, R. M. A. (Org.). Educação empreendedora: conceitos, modelos e práticas. Rio de Janeiro: Elsevier; São Paulo: Sebrae.

Bernheim, C. T., & Chauí, M. de S. (2008). A universidade e a sociedade do conhecimento. Desafios da universidade na sociedade do conhecimento. Brasília: Unesco.

Boyles, T. (2012). 21st century knowledge, skills, and abilities and entrepreneurial competence: a model for undergraduate entrepreneurship education. Journal of Entrepreneurship Education, 15, 41-55.

Carland, J. W., & Carland, J. A. (1996). The Theoretical Bases and Dimensionality of the Carland Entrepreneurship Index. Proceedings of the RISE 96 Conference, University of Jyvaskylâ, Finlândia.

Carland, J. W., Carland J. A., & Hoy, F. (1992). An entrepreneurship Index: an empirical validation. Frontiers of Entrepreneurship Research, 25(3), 244-265.

Carland, J. W., Carland, J. A. & Hoy, F. (1998). Who is an Entrepreneur? Is a question worth asking? American Journal of Small Business, 15(3), 33-39.

Carree, M. A., & Thurik, A. R. (2003). The Impact of Entrepreneurship on Economic Growth. In Acs, Z. J., & Audretsch, D. B. Handbook of Entrepreneurship Research: An Interdisciplinary Survey and Introduction. Great Britain: Kluwer Academic Publishers.

Culti-Gimenez, S., Costa, M. I., Schypula, A., & Gimenez, F. A. P. (2006). Comportamento empreendedor de alunos do curso de turismo. Cadernos da Escola de Negócios, 1(4), 28-40.

Degen, R. (2009). O empreendedor: empreender como opção de carreira. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Drucker, P. F. (1986). Inovação e espírito empreendedor. São Paulo: Pioneira.

Ferreira, A. C., Alcântara, V. C., & Freitas, F. M. (2013). Adaptação, validação e discussões da aplicação de uma escala de medida do potencial empreendedor em universitários. RPCA, 7(3), 115-138.

Filion, L. J. (2000). Empreendedorismo: Ciência, Técnica e Arte. Brasília: CNI IEL Nacional.

Fonseca, R. S, J.; Hashimoto, M. (2014). A importância do ensino empreendedor na formação de Nível Técnico. In: VIII Encontro de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 8., Goiânia, 2014. Anais... São Paulo: ANEGEPE.

Franco, M. A. S. (2015). Práticas pedagógicas de ensinar-aprender: por entre resistências e resignações. Educação & Pesquisa, 41(3), 601-614.

Freitas, A. A. F., Ribeiro, R. C. L., Barbosa, R. T., & Patrício, P. E. A. (2009). O potencial empreendedor de empreendedores informais clientes de programas de microcrédito: uma avaliação sob as perspectivas de capital humano e gênero. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, São Paulo, SP, 33.

Gartner, W. B. (1989). Who is an entrepreneur? Is the wrong question. Entrepreneurship Theory and Practice, 13(1), 47-68.

GEM Brasil (2018). Empreendedorismo no Brasil. Relatório Executivo. Disponível em:< https://datasebrae.com.br/wp-content/uploads/2019/02/Relat%C3%B3rio-Executivo-Brasil-2018-v3-web.pdf>. Acesso em: 26 maio 2020.

Greatti, L., Gralik, E., Vieira, F. G. D., & Sela, V. M. (2010). Aprendizagem em Empreendedorismo dos Acadêmicos do Curso de Administração de uma Universidade Estadual no Sul do Brasil. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. Rio de Janeiro, RJ, 34.

Guimarães, L. O. (2002). A experiência universitária norte-americana na formação de empreendedores. Contribuições das universidades de Saint Louis, Indiana e Babson College (Tese de Doutorado). Fundação Getúlio Vargas, Escola de Administração de Empresas, São Paulo, SP, Brasil.

Hair, J. F., Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2009). Análise Multivariada de Dados (6a. ed.). Porto Alegre: Bookman.

Hashimoto, M., & Fonseca Jr. R. S. (2018). A Importância do Ensino Empreendedor na Formação de Nível Técnico. Revista de Negócios, 23(3), 7-18.

Hashimoto, M., Krakauer, P. V. de C., & Cardoso, A. M. (2018). Inovações nas técnicas pedagógicas para a formação de empreendedores. RPCA, 12(4), 17-38.

Hecke, A. P. (2011). A intenção empreendedora dos alunos concluintes dos cursos de Graduação em Administração e Ciências Contábeis das Instituições de Ensino Superior de Curitiba (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal do Paraná. Curitiba, PR, Brasil.

Henrique, D. C., & Cunha, S. K. da. (2008). Práticas didático-pedagógicas no ensino de empreendedorismo em cursos de graduação e pós-graduação nacionais e internacionais. Revista de Administração Mackenzie (RAM), 9(5), 112-136.

Hisrich, R., Peters, M., & Shepherd, D. (2014) Empreendedorismo (9a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Honig, B. (2004). Entrepreneurship education: toward a model of contingency-based business planning. Academy of Management Learning and Education, 3(3), 258-273.

IBGE. Censo Demográfico 2010. Disponível em: < http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=231290&search=ceara|sobral|infograficos:-informacoes-completas> Acesso em: 26 jul. 2016.

Ilander, G. P-B. (2010). The use of feature films to promote entrepreneurship. International Journal Information and Operation Management Education, 3(3), 284-302.

Inácio Júnior, E., & Gimenez, F. A. P. (2004). Potencial Empreendedor: um instrumento para a mensuração. Revista de Negócios, 9(2), 107-116.

Johan, D. A., Krüger C., & Minello, I. F. (2018). Educação empreendedora: um estudo bibliométrico sobre a produção científica recente. Navus, 8(4), 125-145.

Knotts, T. L. (2011). The SBDC in the classroom: providing experiential learning opportunities at different entrepreneurial stages. Journal of Entrepreneurship Education, 14, 25-38.

Kuratko, D. F. (2005). The emergence of entrepreneurship education: development, trends, and challenges. Entrepreneurship Theory and Practice, 29(5), 577-598.

Lavieri, C. (2010) Educação... empreendedora? In Lopes, R. M. A. (Org.). Educação empreendedora: conceitos, modelos e práticas. Rio de Janeiro: Elsevier; São Paulo: Sebrae.

Lima, E., Hashimoto, M., Melhado, J., & Rocha, R. (2014). Caminhos para uma Melhor Educação Superior em Empreendedorismo no Brasil. Anais do Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, RJ, 38.

Lima, E., Lopes, R. M. A., Nassif, V. M. J., & Silva, D. (2015a). Opportunities to Improve Entrepreneurship Education: Contributions Considering Brazilian Challenges. Journal of Small Business Management, https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/jsbm.12110> Acesso em: 25 maio 2020.

Lima, E., Lopes, R. M. A., Nassif, V. M. J., & Silva, D. (2015b). Ser seu Próprio Patrão? Aperfeiçoando-se a Educação Superior em Empreendedorismo. RAC, 19(4), 419-439.

Lopes, R. M. A. (2010). Educação empreendedora: conceitos, modelos e práticas. São Paulo: Sebrae; Rio de Janeiro: Elsevier.

Machado, A. C. A., Lenzi, F. C., & Manthey, N. B. (2017). O Ensino do Empreendedorismo em Cursos de Graduação: Panorama das Práticas dos Cursos de Ciências Sociais Aplicadas. Revista Alcance, 24(4), 554-573.

Malhotra, N. (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada (4a. ed.). Porto Alegre: Bookman.

Marconi, M. de A., & Lakatos, E. M. (2017). Metodologia Científica (7a. ed.). São Paulo: Atlas.

Martins, G. de A., & Theóphilo, C. R. (2016). Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas (3a. ed.). São Paulo: Atlas.

McClelland, D. C. (1972). A sociedade competitiva: realização e progresso social. Rio de Janeiro: Editora Expressão e Cultura.

Mintzberg, H.; Quinn, J. B. (2001). O processo da estratégia. Porto Alegre: Bookman.

Neck, H. M., & Greene, P. G. (2011). Entrepreneurship Education: Known Worlds and New Frontiers. Journal of Small Business Management, 49(1), 55-70.

Neck, H. M., Greene, P. G., & Brush, C. G. (2015). Teaching entrepreneurship as a method that requires practice. In Teaching Entrepreneurship: A Practice-Based Approach. New York: Edward Elgar Publishing.

Nunes, C. P. & Oliveira, D. A. (2017). Trabalho, carreira, desenvolvimento docente e mudança na prática educativa. Educação & Pesquisa, 43(1), 66-80.

Penz, D., Amorim, B. C., Nascimento, S., & Silveira, A. (2014). Potencial empreendedor dos discentes do curso de administração de uma instituição privada à luz do Carland Entrepreneurship Index (CEI). Anais do Encontro de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Goiânia, GO, 8.

Ribeiro, P. E., & Bernardes, M. A. (2014). O Papel da Universidade no Desenvolvimento do Comportamento Empreendedor em Regiões Carentes. Revista Eletrônica Gestão e Serviços, 5(2), 978-993.

Rocha, E. L. de C., & Freitas, A. A. F. (2014). Avaliação do Ensino de Empreendedorismo entre Estudantes Universitários por meio do Perfil Empreendedor. Revista de Administração Contemporânea RAC, 18(4), 465-486.

Santos, P. C. F. (2008). Uma escala para identificar potencial empreendedor. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Santos, S. C., Caetano, A., & Curral, L. (2010). Atitude dos estudantes universitários face ao empreendedorismo. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, 9(4), 2-14.

Schmidt, J. S., Soper J. C., & Facca, T. M. (2012). Creativity in the entrepreneurship classroom. Journal of Entrepreneurship Education, 15, 23-131.

Schumpeter, J. A. (1934). Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril Cultural.

Silva, G. S. da. (2010). Educação Empreendedora nas IES Cearenses: Um estudo Multicaso (Dissertação de Mestrado). Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil.

Souza, E. C. L. de., Souza, C. C. L. de., Assis, S. de A. G., & Zerbini, T. (2004). Métodos e técnicas de ensino e recursos didáticos para o ensino do empreendedorismo em IES brasileiras. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, 28.

Souza, M. J. B., Trindade, F. de M., Freire, R., & Lyra, F. R. (2016). Potencial empreendedor de empresárias do setor turístico de Florianópolis (SC). Revista Alcance, 23(4), 455-474.

Timmons, J. A. (1989). The Entrepreneurial Mind. Andover. Massachussetts: Brick House Publishing Company.

Tormen, J., Nascimento, S. do., Verdinelli, M. A., & Lizote, S. A. (2015). Potencial Empreendedor dos Estudantes das Ciências Sociais Aplicadas de uma Instituição de Ensino Superior sob a Ótica do Carland Entrepreneurship Index (CEI). Revista ADMPG, 8(2), 17-25.

Veit, M. R., & Gonçalves Filho, C. (2007). Mensuração do Perfil Empreendedor e seu impacto no desempenho das pequenas empresas. Anais do Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, RJ, 31.

Vieira, S. F. A.; Melatti, G. A.; Oguido, W. S.; Pelisson, C.; Negreiros, L. F. (2013). Ensino de empreendedorismo em Cursos de Administração: um levantamento da realidade brasileira. Revista de Administração FACES Journal, v. 12, n. 2, p. 93-114.




DOI: http://dx.doi.org/10.14211/regepe.v9i3.1636

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença 
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional

Rev. Empreendedorismo Gest. Pequenas Empres., São Paulo, SP, Brasil. e-ISSN: 2316-2058    

Prefixo do DOI: 10.14211  Classificação Qualis 2016: B1